Share
domik

O Eucalipto vai desaparecer das propriedades de produtores independentes no Sul do Brasil?

Opinião:

Tenho andado muito pelo interior dos estados do Paraná e Santa Catarina, e um assunto tem me chamado muito atenção: será que a cultura do eucalipto em pequenas e médias propriedades rurais irá desaparecer?

Salvo casos de grandes empresas de Papel e Celulose, Cooperativas e empresas de alimentos, não vejo mais plantios novos de Eucaliptos nestes estados! Conversando com proprietários rurais, pude perceber diversas vezes a decepção com os plantios, fato este ligado a falta de demanda pela madeira o que ocasiona baixos preços e que não são mais atrativos para o replantio. 

Em uma de minhas conversas, um produtor me falou que vendeu a madeira por R$ 20,00 / m3 em pé para o comprador “levar logo” e liberar para a destoca e o plantio de culturas agrícolas. Em outras conversas com técnicos que monitoram o setor, já se percebe a redução de até 15% de áreas que estão sendo convertidas. 

Ainda tem muita madeira nestes estados, plantados por uma “febre do eucalipto” entre os anos 2008 a 2012, porém sem a estruturação de uma cadeia de consumo, certamente perderemos boa parte desta cultura para a agricultura. 

Talvez um alento para os produtores possa vir da China, que hoje tem comprado muita madeira em toras do Sul do Brasil, aproveitando os baixos preços praticados no mercado interno, porém as restrições de espécie, qualidade e cambio, podem reduzir este mercado no médio prazo.

Como um bom silvicultor e amante da minha profissão, torço para que o setor não desista do eucalipto em pequenas e médias propriedades rurais, pois construir uma cultura de produção nova não é fácil. Porém, temos que compreender e aceitar que o mercado é preponderante, e sem políticas de incentivo para o consumo desta madeira em um preço justo, a tendência é diminuir muito, ficando como atividades secundárias ou terciárias em nível de importância para os produtores.

Para saber mais como podemos lhe ajudar contate-nos através do contato@goldenforest.com.br ou WhatsApp (41) 99667-9625

  • /

Leave A Comment

Your email address will not be published.